domingo, 11 de dezembro de 2016

O sequestro


Reclamar ,resmungar são denominações que fazem parte da dialética, poderia ser uma dislexia, mas infelizmente não é .
De fato são 8 meses de grandes dificuldades intelectual e psicológica.A vida ? Sim, a vida faz parte deste fato , a compreensão existe no plano racional . Racionalidade d fato é um grande fato , pena q dela só se sabe depois, sendo q este só se faz no tempo, e tempo é repleto de complexidade
Meus sentimentos foram sequestrados ...
Não recebi um contato de resgate, talvez esteja morto, talvez seja só uma saudade, então como opção devo conviver com a falta, mas como se convive com a falta de algo q foi sequestrado? 
Ficamos sempre a espera , com uma fé absurda q pode nunca ser sanada 
Quero as vezes acordar, mas já me beliskei mtas vezes e sempre doeu
São 8 meses, sem contato, sem resgate...
Por vezes penso q eu sou o sequestrador, como n sei em qual lado estou, sequestrador ou sequestrado Estranho, talvez síndrome de Estocolmo e por vezes  o vitimismo faz d mim. um pobre coitada .
Não é pena o sentimento q preciso , dele tenho asco .
...São 8 meses,  me enterrei várias vezes,  penso n ter mais fundidade.A infeliz realidade mostra q sempre dá p/ afundar idealizando chegar a um outro lugar que faça um outro debate, atingir camadas que compõem a Terra de outra forma como o manto e o núcleo...A crosta terrestre 
“Quando me sequestraram ou quando fui sequestrado soube q nunca vai ser a mesma coisa... então tentei outras formas buscar. Em meu cativeiro , pois é o único fato que sinto ser meu .Neste local d vítima das atitudes queria não saber falar, e seguindo nas tentativas de não querer ter tal dialética até o dia q n entender o falar e oq falam e assim talvez como um pekeno trauma eu consiga acabar com a minha linguagem nativa ,p n ouvir as merdas q já ouvia . 
Hoje keria nascer em em outro país ,outro continente ,outro lugar , mas um nascer realista q d fato possa acontecer, kero estar em outro lugar. Ver uma nova dialética encontrar uma outra linguagem falada d se comunicar
...Bom caro amigo diário, vc n me escuta ,mas recebe minha marca em seu corpo, me permite uma invasão, sem tão pouco reclamar . Já denunciei sekestro , expressei a irá , não denunciei culpados ,pois difícil d encontrar, são tantas atitudes ré deste julgamento q dificilmente uma pena correta seja interessante p se aplicar .
Durante este tempo teve momentos d voltar a caminhar , me parece q está tudo definido. 
De repente o tal destino se define assim, d uma forma sem coerência ou ele é a coerência.
O desânimo é absurdo, a morte ou o interesse nela chega a ser insano , uma realidade. 
Dos esforços realizados nd se explica ,pois o mesmo nd se mantém após os esforços. 
Tenho "hoje" total consciência q buscar a consciência n te capacita de compreensão da vida . 
Morro diversas vezes sem ao menos ter a vida no plural , daki a pouco uma nova força insana me resgata interesse de crer ,mas já sabemos o fim, pois é …
“Penso no sekestrador” q na sua ignorância acha atitude oportuna p/ se restabelecer , talvez! 
Pobre coitado sekestrador, sua fuga da realidade te condena p/ estupidez , quiçá um dia saia dela e se essa realidade vier a acontecer vais notar sekestrador, q vc nunca teve nd , 
oq era oportuno não era seu, era d kem vc sekestrava. 
Do sekestrado vc deixou traumas, mas precisava dele p viver ,por isso vc sekestrava ...
E se um dia o sekestrado vc matou..
Carrega ele contigo ,pois vive na mágoa inoportuno ,sua ignorância te faz protagonista
Sabes q es vítima ,pois precisou d outros p se fazer oportunista, tu es o maior preso 
Se prende por outros e quando os libertar , vais estar novamente vagando no cativeiro vazio da sua própria vida 
A vitima desenvolve o Estocolmo 
Tú se empobrece no oportunismo da situação


Nenhum comentário:

Postar um comentário